Músicos e bandas

Artigos

Notícias

Discografia

Shows

[2015] A mística de se entrar em estúdio



Estou entrando em estúdio para gravar meu quinto disco. Hoje isso não me soa mais estranho como antes, mas ainda me desperta aquele friozinho na barriga, aquela ansiedade gostosa. Sempre que começo um processo como este procuro ter a consciência de que estarei diferente quando terminar, afinal de contas é lá que vamos fabricar a famosa “ponta do iceberg” do músico: a vitrine, o cartão de visitas, o fonograma.

O estúdio geralmente é um lugar escuro e com um leve cheiro de mofo. A maioria é empoeirada e não é limpa regularmente, um terror para os que, assim como eu, nasceram condenados a ter problemas respiratórios. Estou falando dos estúdios pequenos e acessíveis a nós, reles mortais. Imagino que os grandes possuam uma equipe de limpeza pronta a tornar mais agradável este ambiente mágico.

Entrar num estúdio pela primeira vez (já faz bastante tempo) pra mim foi como conhecer a Disneylândia para boa parte de outras “crianças”. Era dali (ou de um lugar como aquele) que saiam as músicas que sempre me fizeram a cabeça. O cotidiano desse lugar me parecia espetacular. Aquelas caixas preto e branco tinham um som bem melhor que as da minha casa. Seria ali que minhas ideias tomariam a forma definitiva, a forma de um produto.

O processo é demorado, trabalhoso e, não raro, entediante para quem só assiste. Mas eu adoro aquilo. Decidir o beat da música, gravar a guia (uma espécie de rascunho sonoro dentro do tempo do metrônomo, onde será gravada toda a música por cima), passar para a bateria, depois o baixo e assim por diante. Teoricamente minha parte (vocal) seria uma das últimas, junto com os metais (sax, trompete e trombone), mas eu acompanho tudo e dou pitaco em tudo, afinal, é meu nome em jogo, minhas ideias que estão sendo montadas, juntamente com as dos meus colegas. Não dá pra simplesmente ficar inerte e esperar sua vez “oficial”.

Terminado todo o longo processo, estamos com os fonogramas no pendrive ou alguma outra mídia de armazenamento. Há um outro trabalho, técnico e burocrático, que inclui o cadastro das músicas para se obter o ISRC (aquele monte de números que acompanham os nomes das faixas nos encartes dos CDs. São como o RG de cada faixa e teoricamente servem para que o ECAD nos repasse a grana por execuções Brasil afora. Teoricamente), produção de capa, essas coisas. Tudo bem chato pra muita gente também.

O fonograma é, de certa forma, maior que o músico, que o autor. Ele chega a lugares que eu nunca chegarei. E vai continuar por aí, mesmo depois que eu bata as botas. Quando alguém quiser lembrar de como era a minha voz é só ouvir uma das minhas músicas. Minha visão de mundo está nas letras. Como disse Raul, “os homens passam, as músicas ficam”. É uma forma de ser eterno.

O tempo passa e eu tenho um pacote de lembranças totalmente diferente de todo mundo quando ouço uma música minha. Posso me lembrar do processo de composição e das horas dentro de um estúdio, saindo de lá meio tonto depois de horas trabalhando. Mas vale a pena. Lembrei do Gilmour dizendo que gostaria muito de ter a sensação de ir a uma loja, comprar e ouvir o Dark Side of the Moon pela primeira vez, sem essas lembranças, apenas como um simples fã que ouve sem saber o que vem pela frente e vai se surpreendendo. Taí… Entendo perfeitamente. Mas eu gostaria de estar no estúdio com eles, com certeza.

------
Publicado originalmente em 16/04/2015, em Troca o Disco.

I. Malförea

O "Memória Musical do Sudoeste da Bahia" precisa da sua colaboração. Tem algum material guardado? Gostaria de publicar seu próprio texto aqui? Acrescentar ou retirar algo? Entre em contato através do "fale conosco". Vamos preservar juntos a nossa história!

Nenhum comentário:

Leave a Reply

Temas

1 1 em Pé 2 Alados 1973 1993 1994 2002 2003 2004 2005 2006 2007 2008 2009 2010 2011 2012 2013 2014 2015 2016 2017 2018 2019 2020 96 FM Acrock Agosto de Rock Alex Baducha Andréa Cleoni Arlindo Polvinthai Artes plásticas Arthur Maia Artigos Assista! Benjamin Existe Biblioteca Municipal José de Sá Nunes Blog Blue Jam Blues BLUEZinada! Boom!!! Café com Blues Cama de Jornal Canta Bahia Captain Pepper Captain Peppers Carlos Albuquerque Casa Memorial Régis Pacheco Caso à Parte CCCJL CCCJL Sessions Chirlei Dutra chorinho Cinco Contra Um Cine Glória Cine Madrigal Circo de Cultura CMVC Coletâneas e Discos Especiais Coletivo Suíça Bahiana Conquista Moto Rock Coração de Jesus Cultura Destaques Deus e as Águas Deus Segue Nossa Guia Deus Seja Louvado Diglett Joes Dinho Oliveira Dirlêi Bonfim Diro Oliveira Discografia Distintivo Blue Divino Espírito Santo Documentos históricos Dona Iracema DP Edigar Mão Branca Edilson Dhio Educadora FM Elomar Em memória Emissoras Entrevistas Erudito: Orquestras e Bandas Marciais Espaço Cultural A Estrada Espaços Ester Barreto Evandro Correia Eventos Facebook Fainor Feira de Flores de Holambra Fenix Rock Bar Festivais Festival Avuador Festival da Juventude Festival de Inverno Bahia Festival de Música da Bahia Festival Educadora FM Festival Internacional de Violão Festival Pra Cantar Junto Festival Suíça Bahiana FestUesb Folk FomeStop Gafieira Brasil Garboso Geslaney Brito Gil Barros Gilberto Gil Gilmar Cardoso Gilmar Dantas Glauber Rocha Graco Lima Jr Grupo Barros Gutemba Heleno Ribeiro I. Malförea Iara Assessu Imagem do Mês Ingrid de Castro Brito J.C. D'Almeida JayVee Jean Cláudio Jequié Jeremias Macário João Omar Judson Almeida Kessller Ladrões de Vinil Larissa Pereira Letras & Prosa Liatris Lili Correia Livros Lomantão Lucas Arruda Luciano PP Lúcio Ferraz Luiza Aldaz MAC - Movimento Artístico e Cultural de Vitória da Conquista Magoo Malförea Mandacaroots Manual do Músico Marcelo Lopes March of Revenge Mariana Kaoos Marta Moreno Mictian Miguel Cortes MPBlues Musaé Música Autoral Músicos e bandas Natal Conquista de Luz Natal da Cidade Nem Tosco Todo Nem Tosco Todo e as Crianças Sem Futuro Nephtali Bitencourt No Canto do Choro No Palco Nós Vozes & Eles Notícias ÑRÜ O Rebucetê OAB Os Barcos Pablo Luz Palestras Pandemia Papalo Monteiro Paulo César de Araújo Paulo Macedo Pesquisas Plácido Mendes PMVC Poções Poesia Praça Tancredo neves Princípio Ativo Priscila Correia de Sousa Carneiro Público Quarentena Rádio FM 100 rádios Rafael Flores Raifran Ramanaia Randômicos Raquel Dantas Reason Reggae Regional Reis Renegados Retilínea Revista Gambiarra Roberto Carlos Rock Rock Cordel Ronny Voxx Rubenildo Metal Salvador Séries SESC Shows Sintoma de Cultura Som da Tribo Sorrow's Embrace Spit Clown Supercílio Tales Dourado Tamires Dias dos Santos Terno de Santo Reis Textos científicos Textos e reportagens de época The Dug Trio The JackHammers The New Old Jam The Outsiders Thomaz Oliveira Tomarock Tombstone Tonico Almeida Tosco Todo Tres Puntos Três Reis Magos TV Sudoeste UESB UESB FM UFPB Vídeo do Mês Videoclipes Viela Sebo-Café Vitória da Conquista VOceve

Twitter

Novidades em seu Email

Imagem do Mês

Vídeo do Mês