Músicos e bandas

Artigos

Entrevistas

Discografia

Memórias

[2005] Conquista é rock!

Cidade fria. Pouco mais de 250 mil habitantes. Sem praia. Distante 509 quilômetros da capital. Um cinema e poucas outras opções culturais. Nada melhor que o rock para preencher a cabeça dos jovens de Vitória da Conquista e ocupar as tardes e noites de tédio. É nesse clima que a cidade realizou no último fim de semana, pelo segundo ano, o Conquista Rock Festival, um festival reunindo bandas locais e de Salvador. A banda de fora do estado, a goiana MQN, acabou desfalcando o evento na última hora.

Segundo um dos produtores do evento, Gilmar Dantas, o evento foi satisfatório, ajudando a colocar Conquista no circuito brasileiro de bandas independentes. Pouco? Não para uma cidade sem grande tradição rocker, mas que começa a produzir uma boa variedade de bandas e já é sede do atual maior festival de rock do estado. Sim. Apesar da dimensão pequena, o CRF é o maior do estilo no estado. “Nosso objetivo é fortalecer a cena, promover o intercâmbio e mostrar as bandas daqui, projetando elas e possibilitando que possam tocar fora da cidade”?, diz Gilmar. Os frutos não devem tardar.

Embaixo de uma noite de 15 graus, o público na primeira noite de festival impressionava pela pouca idade. Numa média de 16/ 18 anos, pouco mais de 300 pessoas reservava sua noite de sábado para assistir seis bandas na primeira noite. A neblina noturna não era a única semelhança com Londres. Ecos do bom rock inglês apareciam na abertura do festival, com a banda local Ardefeto fazendo um som inspirado no Brit Pop, mas com um pé no indie-rock dos anos 80 e no pós-punk. Um som meio melancólico, com um baixo forte e melódico, uma muralha ruidosa de guitarra, letras existencialistas e um vocal meio épico. Com boas composições e arranjos, a banda causou boa impressão apesar de mostrar ainda estar um pouco verde.

Essa parece ser, aliás, a tônica do rock em Conquista. O festival ainda tem o que melhorar, mas tem um enorme potencial, assim como a cena local e as bandas. É o caso também da Flauer, banda de Salvador formada quase só por meninas. Com um pop-punk cantando em inglês e português, o grupo se mostrou um pouco tímido no palco, mas ainda assim apresentaram bem seu misto de guitarras sujas e vocais doces. Na seqüência, o melhor show da noite. Também de Salvador, a Los Canos prova a cada show ter atingido o equilíbrio necessário entre diversão e competência. Rock, punk, bom humor e total despretensão que rendem algumas das melhores pérolas que o rock brasileiro tem notícia. Enquanto metade do público cantava as músicas, a outra metade se largava nas rodas de pogo e a banda se divertia. Na segunda ida da banda ao festival, um desfile de quase hits que agradou em cheio ao público adolescente conquistense.

A banda punk Cama de Jornal já entrou no palco soltando um provocativo “agora vocês vão ter punk de verdade”?. E soltaram o braço, com um punk cru, direto, tosco e ácido. Eles podem até seguir os clichês do gênero, tanto no som podreira quanto nas letras politizadas, mas fazem com competência. Sobra para todo mundo, playboys, ACM e políticos em geral. Nas rodas de pogo surgiram até moicanos. Outra banda local, a D´P, mostrou um som também bem feito, mas ainda sem muita personalidade. Talvez as diversas influências dos integrantes ainda não resultem num som próprio e a banda, uma das mais ativas do cenário conquistense, pareça ainda meio perdida. Passeando por referências diversas, indo do rock tradicional ao nu-metal.

Para encerrar a noite, a The Honkers pagou o débito de dois shows desmarcados na cidade. Mesmo que o público já fosse bem pequeno e estivesse cansado, a banda mais uma vez provou porque tem um show considerado por muitos como o melhor do país no meio rock. Não se importaram se tinham uma ou dez pessoas dançando e o resto assistindo, estavam ali para tocar e quando tocam é diversão garantida, ou pegue seu dinheiro de volta. Mais um show marcante, rock dos bons, no talo, banda insana e o vocalista Rodrigo Sputter mais uma vez mostrando do que o rock é capaz. Subiu, desceu, botou máscara, colocou o microfone na boca, nas partes íntimas e mostrou um modelito novo, uma sunga vermelha com um elefantinho e sua tromba na parte da frente, daquelas fáceis de achar em sex shops. Horrorizados, os seguranças quase tiram ele do palco, enquanto uns roqueiros mais tradicionais xingavam o rapaz.. Um final quase apoteótico.

Noite do Metal

Abrindo a segunda noite do festival uma banda com uma formação inusitada. Além de baixo, bateria e guitarra, a Pectus Maculosus reunia um violino, teclado e um coro de oito vozes. Foi difícil o pequeno palco comportar todo mundo. Vindo de Salvador, a Vinil 69 era o Carlinhos Brown na noite de Metal do Rock in Rio, se o público conquistense não soubesse se comportar. Quem não estava a fim deu as costas e só os mais interessados curtiram o rock clássico da banda, com direito a covers bacanas de Mutantes, Who e Kinks. “É ótimo tocar num festival desses. A gente está meio de saco cheio de tocar em Salvador para as mesmas pessoas e o interior é o mais próximo. O CRF é uma excelente oportunidade”?, disse o vocalista da Vinil 69, Pardal.

Mas era noite mesmo do metal e os “camisa preta”? infestaram o lugar. Se não bastassem as blusas negras com estampas de bandas, haviam ainda rostos maquiados no estilo gótico, máscaras de monstros e um desfile de longas cabeleiras. Era noite de bater cabeça. Os cerca de 400 pagantes puderam ver ainda muito metal local, como o gothic metal da Sorrow’s Embrace, que chamava atenção pela bela voz soprano da vocalista, além do metal gutural da Mictian e a Void Main. A Veuliah, de Salvador, mostrou o que 10 anos de palco é capaz. Lançando seu primeiro disco, apresentaram extrema competência em tocar o terror. Fizeram um excelente show, jorrando Dark Metal nos ouvidos do insano público conquistense. O inferno.

O próximo Conquista Rock Festival já está marcado para março e a promessa dos produtores é ampliar o evento e fazer um festival bem maior. Enquanto eles prometem manter o cenário roqueiro local aceso, com shows mensais (Cachorro Grande e Automata já estão agendados) . É assim que se constrói uma cena.

------
Publicado originalmente em 01/06/2005, em el Cabong.

Memória Musical do Sudoeste da Bahia

O "Memória Musical do Sudoeste da Bahia" precisa da sua colaboração. Tem algum material guardado? Gostaria de publicar seu próprio texto aqui? Acrescentar ou retirar algo? Entre em contato através do "fale conosco". Vamos preservar juntos a nossa história!

Nenhum comentário:

Leave a Reply

Temas

1 1 em Pé 2 Alados 1973 1986 1988 1990 1993 1994 1999 2000 2002 2003 2004 2005 2006 2007 2008 2009 2010 2011 2012 2013 2014 2015 2016 2017 2018 2019 2020 2021 2022 96 FM A Tarde A Voz do Muro A-Divert Acrock Agosto de Rock Alex Baducha Alisson Menezes Ana Barroso Ana Palmira Bittencourt Santos Casimiro André Cairo Andréa Cleoni Arlindo Polvinthai Artes plásticas Arthur Maia Artigos Assista! Autobox Axé Music Babá Ferreira Bad Boy Boogie's Balaio Banda de Música do 9º BPM banda Mixta Benjamin Existe Biblioteca Municipal José de Sá Nunes Blas Fêmia Blog Blue Jam Blues BLUEZinada! Boom!!! Brumado Bruno Caires Bruno Lima Café com Blues Café Society Cama de Jornal Câmara Municipal de Vitória da Conquista Canta Bahia Cao Alves Captain Pepper Captain Peppers Carlos Albuquerque Carlos Porto Casa do Rock Casa Fora do Eixo Casa Memorial Régis Pacheco Caso à Parte CazAzul CCCJL CCCJL Sessions Centro de Convenções Divaldo Franco Chirlei Dutra chorinho Cidadania Cinco Contra Um Cine Glória Cine Madrigal Cinema Circo de Cultura Clipping CMVC Coletâneas e Discos Especiais Coletivo Suíça Bahiana Conquista Metal Fest Conquista Moto Rock Conquista Rock Festival Conservatório Municipal De Música De Vitória Da Conquista Coração de Jesus Crônicas Cultura Cursos Dani Lasalvia Daniel Drummond Danielle Rosa Dão Barros Dércio Marques Destaques Deus e as Águas Deus Segue Nossa Guia Deus Seja Louvado Diglett Joes Dinho Oliveira Dirlêi Bonfim Diro Oliveira Discografia Dissertações Distintivo Blue Divino Espírito Santo documentários Documentos históricos Dona Iracema Dost DP Dreadful Trace Dreams Produções Edigar Mão Branca Edilson Dhio Educadora FM Elomar Elton Becker Em memória Emissoras Entrevistas EP Erudito: Orquestras e Bandas Marciais Espaço Cultural A Estrada Espaços Ester Barreto Estúdio Drakkar Estúdio Drummond Evandro Correia Eventos Excalibur Rock Band Expoconquista Fabio Sena Facebook Fainor Fainor Garage Band Feira de Flores de Holambra Fenix Rock Bar Festivais Festival Avuador Festival da Juventude Festival de Inverno Bahia Festival de Música da Bahia Festival Educadora FM Festival Internacional de Violão Festival Pra Cantar Junto Festival Rádio Rock Festival Suíça Bahiana Festival União Brasileira do Blues Festival Unimed do Sudoeste de Música FestUesb Filarmônicas Folk FomeStop forró Gafieira Brasil Garboso Geslaney Brito Gil Barros Gil Brito Gilberto Gil Gilmar Cardoso Gilmar Dantas Giorlando Lima Glauber Rocha Graco Lima Jr Grito Rock Grupo Barros Gutemba Heavy Metal Heleno Ribeiro Hemoba Herzem Gusmão Hinos Humberto Pinheiro I. Malförea Ian Kelmer Iara Assessu Ice Drink Imagem do Mês In Mundos Inércia Ingrid de Castro Brito Inside Hatred Isadora Oliveira J.C. D'Almeida Jackson Alcântara Jacqueline Jack JayVee Jean Cláudio Jequié Jeremias Macário João Omar Joe Malfs Clan Jorge Luis Melquisedeque Judson Almeida Julio Caldas Junior Damasceno Kako Santana Kelly Prado Kessller Ladrões de Vinil Larissa Luz Larissa Pereira Letras Letras & Prosa Liatris Lili Correia Live Solidária Lives Livros Lomantão Lucas Arruda Lucas Gerbazi Lucas Lins Luciano PP Lúcio Ferraz Luiza Aldaz MAC - Movimento Artístico e Cultural de Vitória da Conquista Magoo Malförea Mallu Magalhães Mandacaroots Manual do Músico Marcelo Lopes March of Revenge Maria Elena Menezes Oliveira Mariana Kaoos Marta Moreno Massinha Mauricio Sena Maurício Sena Mazinho Jardim Memória do Rádio memórias Mi do Carmo Miconquista Mictian Miguel Côrtes Mórficos MPB MPBlues Musaé Música Autoral Musicante Sudoeste Músicos e bandas Natal Conquista de Luz Natal da Cidade Nathan Soares Náufrago Urbano Nem Tosco Todo Nem Tosco Todo e as Crianças Sem Futuro NEOJIBA Nephtali Bitencourt No Canto do Choro No Palco Nós Vozes & Eles Notícias ÑRÜ O Piquete O Rebucetê OAB Orion Music Company Os Barcos Pablo Luz Palestras Pandemia Papalo Monteiro Paraki Parrázio Paulo César de Araújo Paulo Gabiru Paulo Macedo Pesquisas Pilot Wolf Pipa Música Plácido Mendes PMVC Poções Podcast do Moss do Som Podcasts Poesia Point do Rock PPGMLS Praça Barão do Rio Branco Praça Tancredo neves Princípio Ativo Priscila Correia de Sousa Carneiro Programa Positividade Público Quarentena Quintas de Maio Rádio Baixaria Rádio Câmara Rádio FM 100 Rádio Up rádios Rafael Flores Raifran Ramanaia Randômicos Raquel Dantas Reason Recrucifixion Reggae Regional Reis Renato Russo Renegados Retilínea Revista Gambiarra Ricardo Marques Roberto Carlos Robson Falcão Rock Rock Cordel Rock em Prol Rock Vertente Ronaldo do Sax Ronny Voxx Rubenildo Metal Salvador São João Sarau Somos Vozes Séries SESC Shows Simone da Silva Guerreiro Sintoma de Cultura Social Freak Som da Tribo Sorrow's Embrace Spit Clown Sr. Pokan e os Tangerinas SS-433 Suffocation of Soul Supercílio Tales Dourado Tambores & Cordas Tamires Dias dos Santos Taro Társis Valentim Terno de Santo Reis teses Teu Soares Textos científicos Textos e reportagens de época Thais Macedo Lopes The Dug Trio The JackHammers The New Old Jam The Outsiders Thomaz Oliveira Titãs Tomarock Tombstone Tonico Almeida Tosco Todo Trabalhos acadêmicos Tres Puntos Três Reis Magos TV Sudoeste TV UESB UESB UESB FM UESC UFBA UFPB UMC UNIMUS Vadinho Barreto Vídeo do Mês Videoclipes Viela Sebo-Café Vinew Vinícius da Costa Januário Vitória da Conquista VOceve Xangai Xuxa

Twitter

Imagem do Mês

Vídeo do Mês

Doe sangue!